Apresentação do livro “Uma história de vida académica” de José Paulo Soares

No âmbito das comemorações do 130º aniversário da Tuna Académica da Universidade de Coimbra, temos o prazer de convidar-vos para a apresentação pública do livro intitulado Uma história de vida académica da autoria do antigo tuno José Paulo Soares, na Casa da Escrita (Rua João Jacinto, n.º 8), no dia 26 de Maio de 2018, às 16.30h.

Neste livro, José Paulo Soares partilhou sobretudo a sua vivência académica na Tuna Académica da Universidade de Coimbra (TAUC), no Grupo Universitário de Danças Regionais (GUDR) e na República “Klynica da Alta”, destacando-se a publicação dos diários pessoais de duas grandes viagens que fez com a Tuna, nomeadamente a circum-navegação do continente africano em 1956 (Périplo de África) e a digressão por Angola em 1958.

Entre as várias recordações pessoais, descreve algumas passagens mais pitorescas da sua própria vivência académica nos anos 50, como era a praxe nessa altura, como se respeitava e usava a Capa e a Batina, e algumas noções muito breves sobre a origem de alguns Organismos Académicos (nomeadamente a TAUC e o GUDR), da Associação Académica de Coimbra e de vários Costumes Académicos, etc.

CdE_V24_A4_WEB_1

Anúncios
Publicado em Divulgação

(RE)VIVER Coimbra – A guitarra e a orquestra

(RE)VIVER COIMBRA – A guitarra e a orquestra

Espectáculo integrado na 20.ª Semana Cultural da UC e nas comemorações dos 130 anos da TAUC.

Quarta-feira, dia 14 de Março de 2018, no TAGV, 21:30 h

PROGRAMA

Hino Académico – José Christiano de Medeiros
Suite da Beira Baixa – pop. arr. Tobias Cardoso
Fado das Lapas – Francisco Paulo Menano
Vejam Bem|Vampiros – José Afonso, arr. Leandro Alves
Balada de Coimbra – José das Neves Elyseu

Valsa de Outros Tempos – Gonçalo e Artur Paredes, arr. José Santos Paulo
Solista: Luís Correia

Balada da Oliveira – Pedro Caldeira Cabral, arr. Guilherme Catela
Solista: Guilherme Catela

Canção Verdes Anos – Carlos Paredes, arr. José Santos Paulo
Solista: Diogo Mendes

Intervalo

Grupo Cithara:
Nas Asas da Saudade – Carlos Paredes, arr. Cithara
Solstício – Hugo Paiva de Carvalho
Lua Nova – Hugo Paiva de Carvalho

Cithara e Orquestra da TAUC:
Balada de Pedra e Sal Hugo Paiva de Carvalho, arr. Joana Sayal
Canto de Amizade Hugo Paiva de Carvalho, arr. Joana Sayal,
Miguel Luís e Daniel Chichorro

Coimbra, estás no meu coração – Pedro Macedo Camacho
(estreia, obra dedicada aos 130 Anos da TAUC)

Maestro Leandro Alves
Tuna Académica da Universidade de Coimbra

Cithara:
Guitarra de Coimbra – Hugo Paiva de Carvalho
Guitarra clássica – Miguel Luís
Violoncelo – Joana Sayal

Notícia n’As Beiras

Publicado em Divulgação

Homenagem ao Dr. Simões Barbas

A viagem da TAUC pelo Alentejo correu lindamente e os objectivos foram plenamente alcançados: a malta teve o merecido recreio, fizemos dois bons espectáculos e a homenagem ao nosso primeiro maestro foi um momento alto e bem conseguido. Sobre isso faremos um apontamento mais demorado!

Antonio_Simoes_de_Carvalho_Barbas_c1904

António Simões de Carvalho Barbas pousando com a sua viola de 7 cordas, construída pelo violeiro Conimbricense Augusto Nunes dos Santos. Elvas, circa 1904. Fotógrafo: M. Cayolla. Fotografia do acervo familiar.

Publicado em Divulgação

TAUC pelo Alentejo – Homenagem ao Dr. António Simões de Carvalho Barbas

No fim de semana de 17 e 18 de Fevereiro de 2018, a TAUC vai até ao Alentejo para recordar e homenagear um ilustre elvense, o Dr. António Simões de Carvalho Barbas, que foi o nosso primeiro maestro e grande impulsionador.

Dr. António Simões de Carvalho Barbas

Homenagem ao Dr. António Simões de Carvalho Barbas

Elvas, 17 de Fevereiro de 2018
Cine-Teatro Municipal de Elvas pelas 21:30

Estremoz , 18 de Fevereiro de 2018,
Teatro Bernardim Ribeiro pelas 16:00

Programa:
Tuna Académica da UC
Big Band Rags
Serenata de Coimbra

Publicado em Divulgação

«Eis o dia extraordinário, ó gentes de Portugal»

Eis o dia extraordinário, ó gentes de Portugal, da Terra e da Galáxia!

Hoje lançamos na rede digital planetária esta listinha de nomes com a respectiva chave a apontar para a fotografia da Estudantina Académica de Coimbra de 9 de Dezembro de 1888.

Esta lista tem andado aí pelas gavetas, escondida dos olhares dos Tunos de Todos os Tempos e dos descendentes destes rapazes de 1888 (que de anónimos têm muito pouco!) mas hoje deixa de ser SEGREDO! 🙂

(Cliquem na imagem!!!)

Publicado em Divulgação

Concurso de Guitarra de Coimbra da TAUC – Cancelamento

É com tristeza que a Direção da TAUC comunica que se vê obrigada a cancelar o Concurso de Guitarra de Coimbra anunciado no último mês de Dezembro e com final de inscrições a 19 de Janeiro.

No âmbito das Comemorações dos 130 anos da TAUC, a atual Direção do Organismo, em conjunto com a Comissão Organizadora de ditas comemorações, procurou ativamente desenvolver várias iniciativas culturais ligadas à Tuna, à sua história e à sua Cidade. Muitos desses projetos são de continuidade de anos anteriores, ganhando neste espaço de celebração mais carácter e intensidade, outros, como o Concurso de Guitarra de Coimbra, são iniciativas inéditas, partindo em busca de algo que não existia antes e que se considera fazerem falta no panorama atual.

Assim, partindo da rica história da TAUC no Fado de Coimbra, o Concurso de Guitarra de Coimbra tentava prestar a devida homenagem a este instrumento e à sua forma de tocar única. Projetado principalmente para Estudantes e aprendizes da Guitarra, dar a oportunidade de tocar de forma solista com a Orquestra da TAUC foi a forma encontrada para destacar os novos guitarristas e dar-lhes a conhecer o potencial da Guitarra como instrumento solista não só em pequenas formações mas também em formações orquestrais “clássicas”. A esta oportunidade aliaram-se prémios monetários de quantias interessantes (100€, 200€, 400€) não só para o primeiro mas sim para os três primeiros classificados no Concurso.

Desta forma, não foi de espantar que a comunidade de Guitarristas tenha reagido de forma entusiasmada ao lançamento do Concurso. No entanto, este entusiasmo não se traduziu, infelizmente, em inscrições no mesmo. A Direção da TAUC, após discussão interna e de forma unânime, decidiu cancelar o Concurso e não proceder às provas dos poucos candidatos que se inscreveram.  Decidiu ainda não deixar esquecer a ideia e moldá-la de forma a, assim que a oportunidade surja, lançar novamente um Concurso de Guitarra de Coimbra assente nas mesmas premissas de procura de guitarristas amadores e de homenagear a Guitarra de Coimbra como instrumento solista, mas de uma forma mais eficaz e clara.

Por fim, a Direção da TAUC comunica ainda que o concerto marcado para 14 de Março, “(Re)Viver Coimbra”, onde os laureados iriam tocar, mantém-se marcado. Desde o início da produção do espetáculo que apenas uma parte estaria dedicada ao concerto de laureados, que será agora adaptada a interpretação das peças previstas com guitarristas convidados.

Saudações Académicas

A Direção da TAUC

 

Publicado em Divulgação

Recordações da Academia Musical de Coimbra

Foi por acaso (se é que a estrelinha da Tuna deixa algo ao acaso) num convívio pós-espectáculo do coro «Alma de Coimbra», em Elvas, Junho de 2017, que o Dr. Jaime Dória Cortesão mostrou ao maestro Augusto Mesquita, a secular batuta que pertenceu a um bisavô… Dias depois já nós, os coca-bichinhos do Arquivo da TAUC, informados desta realidade, morríamos de curiosidade para ver o objecto! Não mais descansámos até conseguir contactar o Dr. Jaime e pedir-lhe que nos mostrasse a batuta, cuja descrição correspondia quase exactamente ao que foi publicado n’O Commercio do Porto (Ano 35, Nº 304, p. 1.) no dia 9 de Dezembro de 1888.

Dr. António Simões de Carvalho Barbas

No dia 13 de Janeiro de 2018, três elementos da equipa do Arquivo Digital da TAUC viajaram até Elvas para esse ansiado encontro com um bisneto e com um trineto do Dr. António Simões de Carvalho Barbas que foi, como todos sabem, o primeiro maestro da Tuna Académica da Universidade de Coimbra. Fomos excepcionalmente bem recebidos e passámos várias horas em agradável convívio, trocando informações e registando digitalmente vários documentos e objectos.

Porque não é possível descrever, imaginem a emoção que sentimos ao mirar e tactear cada objecto, ao ver fotografias nunca sonhadas e ao folhear partituras manuscritas de peças arranjadas para a primeira formação da Tuna Académica de Coimbra, que no ano lectivo de 1887/1888 fez os primeiros espectáculos sob a designação «Academia Musical de Coimbra»…

… pois parem de imaginar e emocionem-se!!! Vejam este pequeno vídeo!

Observando a batuta, eis uma das agradáveis surpresas: a fita de prata enrolada em espiral em torno do corpo de ébano, ostenta a seguinte inscrição «AO SEU DIRECTOR A ACADEMIA MUSICAL DE COIMBRA»  e no punho de prata, o ano de «1888» .

O artigo do Commercio do Porto de 9 de Dezembro de 1888 contém a seguinte descrição:

 «o snr. dr. Antonio Simões de Carvalho, professor de musica da Universidade e director da estudantina. A batuta que este cavalheiro levava é de ébano, com artistica ponteira de prata; a meio da batuta vê-se uma lyra de prata dourada a que graciosamente prende uma fita tambem de prata, a enroscar-se no ébano, com a seguinte inscripção: «Ao dr. Antonio Simões de Carvalho, a Academia de Coimbra». O punho, de prata lavrada, tem a data: 1888.»

Uma vez mais se demonstra que os artigos de jornal devem ser sempre confrontados com outras fontes e, perante este objecto, já muito fica dito, mas isto, caros Tunos, é apenas uma pontinha de um iceberg, neste imenso oceano que é a História da TAUC, por isso, neste período de comemorações dos 130 anos iremos divulgando algumas histórias nada secretas, mas muito ignoradas, da nossa mui querida TUNA ACADÉMICA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA!

Ao Dr. Jaime Dória Cortesão e ao seu filho o Dr. Luís Dória Cortesão, aqui deixamos expressa a nossa gratidão pelo maravilhoso acolhimento e pela partilha de tão estimadas recordações, que vêm enriquecer a memória deste organismo cultural da Academia de Coimbra.

A.C.

Publicado em Divulgação