Tuno ad aeternum

Tuna Académica da Universidade de Coimbra com o maestro Leandro Alves, assinalando os 130 anos, no mesmo local onde aconteceu a estreia da Estudantina Académica de Coimbra de 1888 (fotografia de Armando Duarte).

Vista geral do Salão de São Tomás de Aquino.

No dia 1 de Dezembro de 2018, precisamente 130 anos depois, neste mesmo local (o salão de S. Tomás de Aquino do Seminário Maior de Coimbra), recordámos esse dia em que a Tuna se apresentou oficialmente à Universidade e à cidade. Em 1888 a Estudantina participou num sarau em benefício da “Sociedade Philantropica Academica”; em 2018, a TAUC organizou um concerto solidário a favor da Acreditar – Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro.

Este serão foi o momento escolhido para dar os PARABÉNS À TAUC! 130 anos!!! e para homenagear os nossos Tunos de Todos os Tempos, reconhecendo o trabalho e a dedicação de várias gerações.

Como síntese de uma dessas gerações mais antigas, que ainda hoje partilha connosco as suas experiências e alegrias, e como um extra-ordinário exemplo de dedicação a este organismo, homenageámos o nosso Tuno, o Ex.mo Sr. Prof. Doutor Polybio Serra e Silva, conferindo-lhe o honroso título de Tuno ad aeternum.

Momento da homenagem ao Prof. Doutor Polybio Serrra e Silva, ladeado por Paulo Lopes, Presidente da Direcção da TAUC e Adamo Caetano, Presidente da Mesa da Assembleia Geral (fotografia de Armando Duarte).

Polybio Serra e Silva entrou para a TAUC em 1945, ainda bicho (estudante de liceu), e desde então a sua actividade enquanto tuno e antigo tuno foi, e é, deveras intensa, extensa e frutuosa. Não cabe aqui resumir tudo o que concretizou, por exemplo, enquanto presidente da TAUC nos anos 50, ou como fundador e 1.º presidente da Associação dos Antigos Tunos da UC (AATUC) nos anos 80/90, etc, etc, interessa, isso sim, sublinhar a paixão e o amor que tem por esta casa, o entusiasmo e o orgulho que manifesta quando fala da nossa Tuna Académica da Universida de Coimbra, e o modo como nos inspira e estimula a trabalhar continuamente, incentivando-nos e torcendo para que a TAUC atinja os melhores êxitos.

Momento em que o Prof. Polybio Serra e Silva recebe das mãos do Presidente da Direcção da TAUC, Paulo Lopes, o documento que atesta a sua nomeação como Tuno ad aeternum (fotografia de Armando Duarte).

Com enorme alegria e reconhecimento, a actual geração de Tunos nomeou o Professor Polybio Serra e Silva, Tuno ad aeternum, e ele, ao seu estilo, enviou-nos hoje esta mensagem:

«Prezados Amigos
Muito reconhecido pela vossa lembrança quero rogar-vos que peçam, aos restantes elementos da TAUC, para viverem intensamente tudo o que ela lhes oferece, para poderem, tal como eu, e como diria Raposo Marques, aí virar mais uma gloriosa página do Livro de Ouro da minha vida:

É com enorme prazer,
Do fundo do coração,
Que vos quero agradecer
A honra do galardão.

Com o coração a tremer
Mas a alma mais serena
Hoje venho vos dizer:
-Afinal valeu a pena!

Digo, de forma oportuna,
Que afinal valeu a pena,
Porque a nossa Grande Tuna
Não é uma Tuna pequena.

É grande na execução
E na idade também,
Tendo um grande coração
Que só sabe fazer bem.

Muito grande na ternura,
Sem nunca provocar danos,
Vai mantendo esta postura
Há cento e trinta anos.

E, nesta eternidade,
A Arte que tem presente,
Não rouba a fraternidade
Que faz unir toda a gente.

Sinto-me extasiado
Por subir a tal craveira
E, desta forma, igualado
Ao saudoso Alves Ferreira.

E fica aqui para nós,
Que vale a pena viver,
Mais algum tempo, após
“Tuno ad aeternum” ser!

Com as mais calorosas e amigas saudações túnicas

Polybio
“Tuno ad aeternum”
09/12/2018 »

E pelo Polybio não vai nada, nada, nada?! 🙂 TUDO!!!

E pela TAUC não vai nada, nada, nada?! TUDO!!!

FRA!

A.C.

Anúncios
Publicado em Divulgação

Encerramento das comemorações dos 130 anos da TAUC

No próximo sábado, dia 1 de Dezembro de 2018, a Tuna Académica da Universidade de Coimbra assinala, no Salão de S. Tomás de Aquino do Seminário Maior de Coimbra, os 130 anos decorridos desde a sua primeira apresentação oficial, que aconteceu neste mesmo local no dia 1 de Dezembro de 1888.

No dia 1 de Dezembro de 2017, 129 anos depois, a TAUC apresentou-se na Sala do Senado da Universidade de Coimbra (antiga sala docel dos Paços das Escholas), com o propósito de marcar simbolicamente o arranque de 1 ano de comemorações, a caminho de completar os seus 130 anos de existência.

Neste período de 1 ano, e no decorrer dos eventos integrados nestas comemorações, aconteceram vários momentos dignos de registo, dos quais destacamos:
– no dia 1 de Dezembro de 2017: a evocação da Estudantina Conimbricense de 1888 na Sala do Senado da Universidade de Coimbra

– no dia 29 de Janeiro de 2018: a publicação do documento-fotografia da Estudantina Académica de Coimbra de 9 de Dezembro de 1888, com os nomes completos dos seus integrantes.

– no dia 17 de Fevereiro de 2018: a homenagem ao primeiro maestro da TAUC, o Dr. Simões Barbas, em Elvas, a sua terra Natal, e o reencontro, com objectos de inestimável valor para a História da TAUC, proporcionado pelos seus descentes

– no dia 14 de Março de 2018, no TAGV: a estreia da peça encomendada pela TAUC para assinalar estes 130 anos, “Coimbra, estás no meu coração” de Pedro Macedo Camacho

– no dia 25 de Maio de 2018: a publicação, sob a forma de inteiro postal, da fotografia da Estudantina de Coimbra de 1887/1888, redescoberta em 2016 pela malta do Arquivo Digital da TAUC em contacto estreito com um neto de Izidoro Rico (um dos tunos de 1888)

– no dia 25 de Maio de 2018: a estreia do Grupo de Metais da TAUC

– no dia 18 de Novembro de 2018: o «II Encontro de Orquestras Académicas» desta vez com a TAUC guindada a Orquestra Académica da Universidade de Coimbra 🙂 e com a Orquestra Universitária de Santiago de Compostela, estabelecendo pontes entre o passado e o presente.

2017/2018 foi um ano lectivo-artístico preenchidíssimo, que passo mentalmente em revista, e aproveito ainda para relembrar, en passant,  a divertida digressão ao Alentejo, as participações na Semana Cultura da UC e na Queima da Fitas, o VII Encontro de Big Bands, a fotografia da praxe, o jantar de gala do aniversário da TAUC, o lançamento do livro do José Paulo Soares, as significativas obras de melhoramento nas salas de ensaios e de direcção, etc, etc, etc, …

Como o tempo passa veloz !!! …  já vamos no 7.º concerto da OAUC! Esse sonho antigo tornado realidade, que torna ainda maior a nossa querida e simpatiquíssima TUNA ACADÉMICA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA. Aqui Vos deixo um humilde mas sincero agradecimento a Todos os que acreditaram, a Todos os que o tornaram possível e a TODOS os que o sustentam: aos elementos das direcções da TAUC de 2015/2016 e seguintes (Filipe, Marina, Peres, Daniel e muitos mais); à Reitoria da UC com João Gabriel e Clara Almeida Santos; aos maestros André Granjo e Leandro Alves; a todos os músicos que participam e às suas famílias, dando o seu tempo e recursos, o seu conhecimento, o seu entusiasmo, e ajudando a suportar todo este esforço; sem esquecer também o apoio do Conservatório de Música de Coimbra, da Banda do Troviscal, etc, …

Caríssimos Tunos de Todos os Tempos, venham celebrar os 130 anos da TAUC no dia 1 de Dezembro de 2018, participando neste concerto solidário, cujo produto reverte para a Acreditar Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro.

e, já agora, podemos aproveitar para marcar o arranque das comemorações dos 131 anos da TAUC!!! 🙂

A.C.

Publicado em Divulgação

Tuna Académica realiza «II Encontro de Orquestras Académicas»

Depois da 1.ª edição em 2015, o evento regressa com dois dias de programação e com a Orquestra da Universidade de Santiago de Compostela como convidada.
A iniciativa insere-se nas comemorações dos 130 anos da TAUC.
Publicado em Divulgação

Jorge Condorcet assinala 75 anos de sócio da Académica de Coimbra

O nosso estimado Tuno TT, Jorge Condorcet dos Reis Pais Mamede, mereceu esta distinção da Académica de Coimbra, no momento em que assinala 75 anos como sócio.

Daqui o saudamos e lhe enviamos um grande bem-haja pela sua dedicação à vida cultural e desportiva da Academia de Coimbra.

 

Diário As Beiras, 13 de Setembro de 2018. A notícia tem uma gafe: onde referem 1967 deveria estar 1937. Jorge Condordet nasceu em 1933 (a 16 de Setembro) e portanto o seu avô começou a levá-lo aos jogos com 4 anos, em 1937.

 

Publicado em Divulgação

Em vésperas de estágio da OAUC…

por falar em Orquestras Académicas e considerando que está bem fresco na memória dos actuais tunos, o nome de Simões Barbas (homenageado, em Elvas, em Fevereiro de 2018), deixo aqui um recorte de jornal que revisitámos há tempos no arquivo da TAUC. Este texto  de António José Soares foi publicado no jornal «O Primeiro de Janeiro» no dia 27 de Março de 1966 [ A. J. Soares foi o autor de uma Breve História da TAUC (COIMBRA, EDIÇÃO DA BIBLIOTECA MUNICIPAL, 1962) ]. Neste artigo, A. J. Soares, para além de afirmar a inequívoca origem da TAUC, (re)usa esta antiga terminologia – «Orquestra Académica» – para falar da Estudantina de 1888 e da TAUC, recordando a(s) Orquestra(s) Académica(s) que tocou (tocaram) no Teatro Académico, no Teatro D. Luiz, etc

Recordo que as fontes escritas de 1888 referem-se, vastas vezes, ao grupo principal da Estudantina, como “orchestra” e tuna, etc, etc…

A. Caetano

Artigo de António José Soares publicado n’«O Primeiro de Janeiro», no dia 27 de Março de 1966. «… Estudantina surgida em 1888, o organismo estudantil que se manteve até ao presente com o nome Tuna Académica de Coimbra.»

Publicado em Divulgação

Apresentação do livro “Uma história de vida académica” de José Paulo Soares

No âmbito das comemorações do 130º aniversário da Tuna Académica da Universidade de Coimbra, temos o prazer de convidar-vos para a apresentação pública do livro intitulado Uma história de vida académica da autoria do antigo tuno José Paulo Soares, na Casa da Escrita (Rua João Jacinto, n.º 8), no dia 26 de Maio de 2018, às 16.30h.

Neste livro, José Paulo Soares partilhou sobretudo a sua vivência académica na Tuna Académica da Universidade de Coimbra (TAUC), no Grupo Universitário de Danças Regionais (GUDR) e na República “Klynica da Alta”, destacando-se a publicação dos diários pessoais de duas grandes viagens que fez com a Tuna, nomeadamente a circum-navegação do continente africano em 1956 (Périplo de África) e a digressão por Angola em 1958.

Entre as várias recordações pessoais, descreve algumas passagens mais pitorescas da sua própria vivência académica nos anos 50, como era a praxe nessa altura, como se respeitava e usava a Capa e a Batina, e algumas noções muito breves sobre a origem de alguns Organismos Académicos (nomeadamente a TAUC e o GUDR), da Associação Académica de Coimbra e de vários Costumes Académicos, etc.

CdE_V24_A4_WEB_1

Publicado em Divulgação

(RE)VIVER Coimbra – A guitarra e a orquestra

(RE)VIVER COIMBRA – A guitarra e a orquestra

Espectáculo integrado na 20.ª Semana Cultural da UC e nas comemorações dos 130 anos da TAUC.

Quarta-feira, dia 14 de Março de 2018, no TAGV, 21:30 h

PROGRAMA

Hino Académico – José Christiano de Medeiros
Suite da Beira Baixa – pop. arr. Tobias Cardoso
Fado das Lapas – Francisco Paulo Menano
Vejam Bem|Vampiros – José Afonso, arr. Leandro Alves
Balada de Coimbra – José das Neves Elyseu

Valsa de Outros Tempos – Gonçalo e Artur Paredes, arr. José Santos Paulo
Solista: Luís Correia

Balada da Oliveira – Pedro Caldeira Cabral, arr. Guilherme Catela
Solista: Guilherme Catela

Canção Verdes Anos – Carlos Paredes, arr. José Santos Paulo
Solista: Diogo Mendes

Intervalo

Grupo Cithara:
Nas Asas da Saudade – Carlos Paredes, arr. Cithara
Solstício – Hugo Paiva de Carvalho
Lua Nova – Hugo Paiva de Carvalho

Cithara e Orquestra da TAUC:
Balada de Pedra e Sal Hugo Paiva de Carvalho, arr. Joana Sayal
Canto de Amizade Hugo Paiva de Carvalho, arr. Joana Sayal,
Miguel Luís e Daniel Chichorro

Coimbra, estás no meu coração – Pedro Macedo Camacho
(estreia, obra dedicada aos 130 Anos da TAUC)

Maestro Leandro Alves
Tuna Académica da Universidade de Coimbra

Cithara:
Guitarra de Coimbra – Hugo Paiva de Carvalho
Guitarra clássica – Miguel Luís
Violoncelo – Joana Sayal

Notícia n’As Beiras

Publicado em Divulgação